×

Recent Posts

Conde D’ Ervideira – Branco – Alentejo
Ficha Técnica
Conde D’ Ervideira – Branco – Alentejo

Castas: Antão Vaz

Vinificação: As uvas são desengaçadas, não esmagadas, e enviadas para “vinimatics”, onde permanecem durante 6 a 10 horas, a uma temperatura controlada que não ultrapassa os 12ºC. depois são prensadas e enviadas para a câmara frigorífica, onde fermentam a temperatura controlada entre 13 e 15ºC.
Envelhecimento: O mosto é acondicionado em barricas novas de carvalho Hungaro, ao qual se segue um período de 6 meses de “batonnage”

Produção: 27 000 garrafas

Longevidade: Até 4 anos

Prova: Apresenta aromas de frutos tropicais, especiarias e baunilha. É aveludado e untuoso, possuindo uma acidez equilibrada e taninos suaves e sedosos.

Ver +
Conde D’ Ervideira Garrafeira – Tinto – Alentejo
Ficha Técnica
Conde D’ Ervideira Garrafeira – Tinto – Alentejo

Castas: Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet.

Vinificação: Da selecção dos melhores lotes de uvas, vinificados casta por casta. O Aragonez fermenta em “vinimatics”, enquanto que as outras duas castas, Trincadeira e Alicante Bouschet, fermentam em lagares equipados com robot de pisa mecânica. O processo decorre a uma temperatura controlada de 25ºC.
Envelhecimento:Estágio de 12 meses em barricas novas, maioritariamente, de carvalho Francês. O blend é depois engarrafado, permanecendo em cave durante o período de 18 meses.

Produção: 7 000 garrafas

Longevidade: 6 a 8 anos

Prova: Apresenta um elegante e complexo perfil aromático, associado a uma estrutura marcante, tem elevada persistência e longevidade.

Como Servir: Entre 16 e 18º C, com carnes vermelhas como rosbife de carne mertolenga e caça.

Ver +
Conde D’ Ervideira Reserva – Tinto – Alentejo
Ficha Técnica
Conde D’ Ervideira Reserva – Tinto – Alentejo

Castas: Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon.

Vinificação: Selecção dos melhores lotes de uvas, vinificados casta por casta. O Aragonez fermenta em “vinimatics”, enquanto que as restantes castas fermentam em lagares equipados com robot de pisa mecânica. O processo decorre a uma temperatura controlada de 25ºC.

Envelhecimento:Estágio de 8 meses em barricas novas, maioritariamente, de carvalho Francês. O blend é depois engarrafado, permanecendo em cave durante o período mínimo de um ano.

Produção: 26 000 garrafas

Longevidade: 6 a 8 anos

Prova: Apresenta aromas de compotas de frutos vermelhos, complexados pela madeira. É aveludado, apresentando uma excelente estrutura e suaves taninos.

Como Servir: Entre 16 e 18º C, com rosbife de carne mertolenga e molho de mostarda.

Ver +
Ervideira – Espumante Reserva Bruto
Ficha Técnica
Ervideira – Espumante Reserva Bruto

Castas: Aragonez e Alfrocheiro

Vinificação: As castas são vinificadas separadamente, sendo conduzidas para depósitos rotativos de fermentação “Vinimatic”, onde permanecem 4 horas, em baixa rotação, por forma a obter-se uma suave extracção de cor. Após este período decorre a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação dá-se na garrafa, onde permanece cerca de 12 meses até ao «degorgement».

Produção: 14 000 garrafas

Longevidade: 2 anos

Prova: Com o potencial aromático do Aragonez e Alfrocheiro, este Espumante apresenta um aroma rico em ameixas e a cerejas frescas, com um agradável toque mineral. Na boca é equilibrado e com bolha fina, com uma excelente acidez. Formando um conjunto elegante e persistente com um perfume a Alentejo.

Como Servir: Entre 7 e 9º C, com mariscos e peixe.

Ver +
Ervideira – Invisível – Alentejo
Ficha Técnica
Ervideira – Invisível – Alentejo

Castas: Aragonez

Vinificação: De uma selecção dos melhores lotes de Aragonez, e do resultado de uma vindima nocturna (moon harvest), nasceu este vinho – Invisível. O mosto é transportado em camião frigorífico até á Adega. Aí, é conduzido por gravidade para a câmara de frio, onde permanece a decantar durante 24 horas a baixas temperaturas. Após este processo, o mosto é inoculado com leveduras seleccionadas e a fermentação decorre a uma temperatura controlada de 12º C, durante 15 dias.

Produção: 35 000 garrafas

Longevidade: 1 a 2 anos

Prova: Utilizando o potencial aromático do Aragonez, desenhou-se este vinho, plenos de aromas de Chá (Earl Grey), Hortelã, Casa de Lima e Salva. Na boca surge fresco, com uma boa acidez, e uma estrutura final muito elegante.

Como Servir: Entre 6º a 8 º C, com sushi, peixes fumados e mariscos.

Ver +
Ervideira Antão Vaz – Branco – Alentejo
Ficha Técnica
Ervideira Antão Vaz – Branco – Alentejo

Castas: Antão Vaz

Vinificação: As uvas são desengaçadas, não esmagadas, e enviadas para “Vinimatics” onde permanecem durante 6 a 8 horas a uma temperatura controlada que não ultrapassa os 6ºC. Depois são prensadas e enviadas para a câmara Frigorifica onde fermentam com controlo de temperatura (13 a 15 ºC).

Produção: 10 000 garrafas

Longevidade: 2 a 3 anos

Prova: Revela toda a sua exuberância aromática de fruta tropical com algumas notas cítricas, num conjunto de estrutura marcante, envolvente e de grande persistência.

Como Servir: Entre 7 a 9 ºC, com peixe grelhado ou mariscos. EAN Garrafa: 560 1381 000303

Ver +
Ervideira Touriga Nacional –Tinto– Alentejo
Ficha Técnica
Ervideira Touriga Nacional –Tinto– Alentejo

Castas: Touriga Nacional

Vinificação: A fermentação alcoólica acontece em cubas horizontais rotativas, vinimatics, com controlo de temperatura. Envelhecimento: Estágio de 6 a 8 meses em barricas novas de carvalho Francês e Americano.

Produção: 10 000 garrafas

Longevidade: 4 a 6 anos

Prova: Apresenta aromas de violetas e frutos negros em compota, com algumas especiarias, tudo envolvido nas notas de madeira. Possui uma boa estrutura, mostrando-se complexo, com uma persistência longa e harmoniosa.

Como Servir: Entre 16 e 18º C, com lombo de vitela assado, no forno de lenha, com molho de coentros.

Ver +
Lusitano Colheita Seleccionada – Branco
Ficha Técnica
Lusitano Colheita Seleccionada – Branco

Castas: Antão Vaz, Roupeiro e Arinto

Vinificação: Fermentação em cubas de inox, a temperatura controlada de 14ºC, em câmara de frio.

Produção: 40 000 garrafas

Longevidade: 2 a 3 anos

Prova: Apresenta uma agradável intensidade aromática, onde se destaca os aromas a frutos tropicais. Na boca revela uma frescura exuberante, a par de uma correcta acidez. É leve, fresco e com final agradável.

Como Servir: Entre 6 e 8º C, com pratos de peixe Assado ou Grelhado e Mariscos

Ver +
Lusitano Colheita Seleccionada – Tinto – Alentejo
Ficha Técnica
Lusitano Colheita Seleccionada – Tinto – Alentejo

Castas: Aragonez, Tinta Caida, Alicante Bouschet

Vinificação: Neste vinho, a fermentação alcoólica ocorre casta a casta, em cubas de inox, horizontais e rotativas (vinimatics), com temperatura controlada de 25ºC.

Envelhecimento: Estágio de 6 meses em barricas de carvalho Húngaro.

Produção: 250 000 garrafas

Longevidade: 3 anos

Prova: De perfil jovem e atractivo, este vinho apresenta uma cor granada, aromas a groselhas, ameixas vermelhas e algumas especiarias. É aveludado e com um conjunto equilibrado de acidez e suaves taninos.

Como Servir: Entre 15 e 16º C, com pratos de carne condimentada e grelhados.

Ver +
Lusitano Selecção – Rosé – Alentejo
Ficha Técnica
Lusitano Selecção – Rosé – Alentejo

Castas: Aragonez e Alfrocheiro

Vinificação: As castas são vinificadas separadamente, sendo conduzidas para depósitos rotativos de fermentação “vinimatic”, onde permanecem entre 6 a 10 horas, em baixa rotação, de forma a obter-se uma suave extracção de cor. Após este período o mosto é conduzido, para a câmara de frio, onde fermenta a uma temperatura controlada entre 13 e 15 º C.

Produção: 14 000 garrafas

Longevidade: 2 a 3 anos

Prova: Com o potencial aromático do Aragonez e Alfrocheiro, este rosé apresenta um aroma a groselhas e a ameixas frescas, de estrutura elegante, é fresco e de persistência prolongada.

Como Servir: Entre 7 e 9º C, com mariscos, saladas e peixe grelhado.

Ver +
Lusitano Selecção – Tinto – Alentejo
Ficha Técnica
Lusitano Selecção – Tinto – Alentejo

Castas: Aragonez, Trincadeira e Cabernet Sauvignon

Vinificação: Neste vinho, a fermentação alcoólica ocorre casta a casta, em cubas de inox, horizontais e rotativas (Vinimatics), com temperatura controlada de 25ºC.

Envelhecimento: Estágio de 4 meses em barricas de carvalho Francês.

Produção: 250 000 garrafas

Longevidade: 3 anos

Prova: De perfil jovem e atractivo, este vinho apresenta uma cor granada, aromas a groselhas, ameixas vermelhas e algumas especiarias. É aveludado e com um conjunto equilibrado de acidez e suaves taninos.

Como Servir: Entre 15 e 16º C, com pratos de carne ligeira e grelhados.

Ver +
S de SOL – Branco
Ficha Técnica
S de SOL – Branco
  • S de SOL – Branco
  • Casta Antão Vaz, Roupeiro and Perrum.
  • Vinificação Fermentação em cubas de inox com temperatura de fermentação controlada de 14ºC, em câmara de frio.
  • Produção 120 000 garrafas.
  • Teor alcoólico 13 %vol
  • Paladar Um vinho de perfil jovem e fresco, de cor citrina. Apresenta aromas de frutos tropicais e notas minerais. Na boca é macio e a sua acidez desperta a componente de fruta, e prolonga a sua degustação.
    s
  • Como Servir Entre 6 e 8º C, como aperitivo ou com pratos de peixe cozido ou grelhado.
Ver +
S de SOL – Tinto
Ficha Técnica
S de SOL – Tinto
  • S S de SOL – Tinto
  • Casta Trincadeira, Aragonez e Alicante Bouschet
  • Vinificação A fermentação ocorre, casta por casta em cubas de inox rotativas com temperatura de fermentação controlada a 25 º C.
  • Produção 250 000 garrafas.
  • Teor alcoólico 13 %vol
  • Longevidade: 2 a 3 anos
  • Paladar É um tinto jovem, apresenta uma cor granada intensa, com notas de ameixa, frutos silvestres e especiarias no aroma. Na boca é aveludado, com um conjunto equilibrado de acidez e suaves taninos.
    s
  • Como Servir Entre 15 e 16º C, com pratos de carne ligeira grelhada ou saladas.
Ver +
Terras D'Ervideira - Branco
Ficha Técnica
Terras D'Ervideira - Branco
  • Terras D'Ervideira - Branco
  • Casta Antão Vaz, Roupeiro e Perrum.
  • Vinificação Fermentação em cubas de inox com temperatura de fermentação controlada de 14º C, em câmara de frio.
  • Produção 95 000 garrafas.
  • Teor alcoólico 13,5 %vol
  • Longevidade: 2 anos
  • Prova Um vinho de perfil jovem e fresco, de cor citrina. Apresenta aromas de frutos tropicais e notas minerais. Na boca é macio e a sua acidez desperta a componente de fruta e prolonga a sua degustação.
    s
  • Como Servir Entre 6-8º C, com pratos de peixe e marisco.
Ver +
Terras D'Ervideira - Tinto
Ficha Técnica
Terras D'Ervideira - Tinto
  • Terras D'Ervideira - Tinto
  • Casta Aragonês, Trincadeira e Sirah
  • Vinificação Fermentação ocorre casta por casta, em cubas de inox rotativas com temperatura controlada a 25ºC
  • Produção 250 000 garrafas.
  • Longevidade: 2 a 3 anos
  • Prova É um tinto jovem apresenta uma cor granada intensa, com notas de ameixa, frutos silvestres e especiarias no aroma. Na boca é aveludado, com um conjunto equilibrado de acidez e suaves taninos
  • Como Servir Entre 15-16º C, com pratos de carne grelhada.
Ver +
Vinha-D’Ervideira Colheita Seleccionada Branco
Ficha Técnica
Vinha-D’Ervideira Colheita Seleccionada Branco
  • Vinha-D’Ervideira Colheita Seleccionada Branco
  • Casta Antão Vaz, e Arinto.
  • Vinificação O processo decorre casta a casta.As uvas Antão Vaz são desengaçadas, ligeiramente esmagadas, e prensadas em vácuo. Após defecção fermentam a temperatura controlada entre 13 e 15ºC. As uvas Arinto são desengaçadas e enviadas sem esmagamento para "vinimatics", para maceração peculiar entre 6 e 10 horas. Posteriormente são prensadas e enviadas para a câmara de frio onde fermenta entre 13 e 15ºC
  • Produção 40 000 garrafas.
  • Longevidade: 2 a 3 anos
  • Prova Vinho de tons citrinos com notas de frutos tropicais, ligeira compota de marmelo e notas minerais. Elegante na boca, mostra boa acidez e estrutura marcante, que prolonga a degustação.
    s
  • Como Servir Entre 7-9º C, com pratos de peixe.
Ver +
Vinha D´Ervideira Colheita Seleccionada Rosé
Ficha Técnica
Vinha D´Ervideira Colheita Seleccionada Rosé

Castas: Touriga Nacional, Aragonez e Tinta Caiada

Vinificação: As castas são vinificadas separadamente, sendo conduzidas para depósitos rotativos de fermentação “Vinimatic”, onde permanecem entre 6 e 10 horas, em baixa rotação, de forma a obter-se uma suaves extracção de cor. Após este período o mosto é conduzido para a câmara de frio, onde fermenta a uma temperatura controlada de 13 a 15ºC

Produção: 15 000 garrafas

Longevidade: 3 a 4 anos

Prova: Com o potencial aromático do Aragonez, complexado com a elegância da Tinta Caiada, desenhou-se este Rosé, pleno de aromas de frutos vermelhos, na boca surge fresco de estrutura elegante, com uma agradável persistência a convidar à degustação.:

Como servir: Entre 7 a 9ºC, com peixe assado no forno, peixe fumado e saladas

Ver +
Vinha D’Ervideira Colheita Seleccionada Tinto
Ficha Técnica
Vinha D’Ervideira Colheita Seleccionada Tinto

Castas: Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon

Vinificação: As castas são vinificadas separadamente. A Trincadeira, Bouschet e Cabernet Sauvignon fermentam em lagares de inox de pisa mecânica, a uma temperatura controlada de 25ºC. A casta Aragonez fermenta em depósitos horizontais “Vinimatic”.

Envelhecimento: Estágio de 6 meses, em barricas de carvalho Francês e Americano

Produção: 205 000 garrafas

Longevidade: 4 a 6 anos

Prova: inho de tons granada, com notas de ameixa, frutos silvestres e especiarias no aroma.

Na boca é macio com uma estrutura notória e elegante que persiste no final.:

Como servir: Entre 16 e 18ºC, com um rosbife de mertolengo com molho de mostarda, ou javali estufado

Ver +
Vinha D’Ervideira Espumante Bruto
Ficha Técnica
Vinha D’Ervideira Espumante Bruto

Castas: Perrum e Antão Vaz

Vinificação: O vinho, base do espumante, é vinificado casta a casta, decorrendo a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação dá-se na garrafa, onde permanece cerca de 6 meses até ao degorgement.

Produção: 35 000 garrafas

Longevidade: 2 a 3 anos

Notas do Produtor

Espumante produzido em regiões de clima quente,
apresenta notas de fruta tropical, complexadas pelo contacto com a levedura.



Na boca é macio, persistente, apresentando uma bolha fina que desaparece de uma forma suave.

Entre 6 - 8º C, com pratos de peixe grelhado ou com
aperitivos.

Ver +

Ervideira Soc. Agrícola, Lda.

A Ervideira Sociedade Agrícola Lda.

A Ervideira, Sociedade Agrícola Lda., é uma sociedade comercial por quotas, com sede em Évora, integralmente detida por Maria Isabel Leal da Costa e pelos seus seis filhos José Leal da Costa, Isabel Leal da Costa, Manuel Leal da Costa, Pedro Leal da Costa, Maria Leal da Costa e Duarte Leal da Costa.

 

Breve nota histórica

As herdades do Monte da Ribeira (Vidigueira) e da Herdadinha (Reguengos de Monsaraz), pertencem à família Leal da Costa, descendente directa do Conde D’Ervideira, agricultor alentejano de sucesso do fim séc. XIX e princípio do séc. XX. O Conde D’Ervideira, que recebeu o título de D. Carlos I pelas funções de dirigente de instituições de serviço e apoio social que desempenhou na região de Évora, deu inicio à produção de vinho em 1880, como atestam as garrafas que ainda hoje a empresa exibe, orgulhosamente, na sala de provas da actual adega.

Até meados do séc. XX a produção foi conduzida pelo avô dos actuais proprietários. O ano de 1950 marcou um interregno da produção de vinhos, tendo as terras sido arrendadas até 1974, altura em que foram expropriadas pela reforma agrária do pós 25 de Abril. Em 1986 as duas herdades voltaram às mãos dos seus proprietários, mergulhadas  num profundo cenário de abandono e pura degradação. Com a vontade e o apoio de toda a família, iniciou-se um programa de recuperação técnica e económica, capaz de retomar a tradição vitivinícola, plantando uma vinha nova com cerca de 80 hectares. Entre 1994 e 2002, foram plantados novos vinhedos e a vinha de 1986 foi reestruturada com o objectivo de obter maior potencial qualitativo, perfazendo uma área total de 160ha de vinhas plantadas segundo técnicas modernas, com tratamentos de Protecção Integrada, garantindo o maior respeito pelo ambiente. É destas vinhas que, em 1998, se obtiveram as uvas que deram origem à primeira vinificação própria sob a responsabilidade técnica do enólogo Paulo Laureano. São, então, produzidas 25 000 garrafas Vinha D’Ervideira Tinto, que entram no mercado de gama média/alta, com excelentes classificações na nota de prova das revistas de especialidade. Em 2002, é posto em prática o projecto de construção da Adega da Ervideira, na Herdade da Herdadinha, freguesia de S. Vicente do Pigeiro, concelho de Évora, 2 onde impera uma das mais inovadoras tecnologias aplicadas a nível nacional, desde a recepção, ao engarrafamento e guarda.

Com o objectivo bem definido de produzir mais e melhor, a Ervideira está hoje solidamente implantada no mercado, oferecendo vinhos de grande qualidade a preço justo.

Das cerca de 800 mil garrafas produzidas actualmente, 40% destina-se ao mercado externo que é constituído por países como o Brasil, Canadá, Estados Unidos e México; Alemanha, Bélgica, Eslovénia, Espanha, França, Holanda, Luxemburgo, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça; Cabo Verde, Angola e Moçambique; e ainda Macau/China.

A Ervideira está sempre a fomentar novos contactos, com o objectivo de estabelecer relações comerciais noutros países. Tendo ainda potencial de crescimento, a Ervideira prevê atingir uma produção de 1 Milhão de garrafas em 2008, contribuindo com satisfação para o bom-nome que está na sua origem: Alentejo.

 

As vinhas – A matéria-prima

A Ervideira é proprietária de 160ha de vinhedos, divididos pelas propriedades da zona de Vidigueira (110ha) e de Reguengos (50ha). O clima é aqui mediterrânico continental, com chuvas concentradas entre Novembro e Fevereiro e um Verão muito seco. Nos solos, predominam os vermelhos de xisto, xisto e granito.

As castas tintas representam ¾ da produção, sendo a Trincadeira e o Aragonez as predominantes (50%), seguidas de Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Caiada, Syrah, e Castelão. Nos encepamentos de brancos destacam-se as castas nobres tipicamente regionais como Antão Vaz, Roupeiro, Arinto e Perrum.

 

A Adega – A vinificação

A vindima, feita quando o grau de maturação das uvas é o ideal, é executada à noite com máquina de vindimar, sendo as uvas transportadas do campo à adega em camiões frigoríficos. Este transporte garante a sua chegada em 2 horas, sem quaisquer sinais de início de fermentação e na quantidade exacta para o seu processamento, na moderna e funcional adega. A vinificação processa-se em cubas de inox, utilizando leveduras seleccionadas e com controlo de temperaturas. A fermentação de tintos pode decorrer em lagares com pisa mecânica, cubas verticais cuja fermentação é realizada com o auxílio do CO2 produzido durante a própria fermentação; ou em cubas horizontais, rotativas com funcionamento integral por gravidade com redução da utilização de bombas. À fermentação segue-se um estágio em barricas de carvalho e posteriormente em garrafas, em cave própria, a temperatura e humidade controladas, sob total protecção da radiação solar. A fermentação do vinho branco é mais longa, 20 a 25 dias, e é totalmente realizada em câmara frigorífica, com controlo da temperatura a não mais de 12ºC.

Posteriormente, também a estabilização é realizada a frio, durante uma semana, a uma temperatura de 5ºC negativos. Os Produtos – O Vinho A Ervideira é uma empresa produtora de vinhos, tintos e brancos, de qualidade média / alta, e tem à disposição do mercado as seguintes referências: Conde D’ Ervideira, Vinha D’Ervideira, Lusitano, Terras D’ Ervideira, Castas D’ Ervideira, Espumantes Ervideira.

 

TOP