×

Recent Posts

DONA BERTA RESERVA TINTO
Ficha Técnica
DONA BERTA RESERVA TINTO
  • DONA BERTA RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2008
  • CONCEITO - Como o nome sugere, pretendeu-se fazer um vinho onde fosse enaltecida a qualidade das uvas, provenientes de uma vinha muito velha, com mais de 100 anos, e a excelência do terroir de freixo de numão - um dos melhores do douro para vinhos de mesa - graças à sua elevada altitude.
  • CASTAS - À boa maneira da viticultura antiga, a vinha velha onde foram colhidas as uvas tem plantadas muitas castas, algumas das quais só conhecidas dos homens de avançada idade da região. entre outras, existem o cornifesto, bastardo, casculho, tourigo, tinta raiz...
  • APTIDÕES - O vinho está pronto a beber, principalmente por quem aprecia vinhos jovens. No entanto, irá melhorar muito com o tempo de garrafa, valendo a pena guardar algumas para ver acompanhar a sua evolução. por certo que irá proporcionar muitas alegrias. dadas as suas características, é, claramente, um vinho de celebração e para os grandes momentos da vida.
  • Ver +
    RESERVA BRANCO VINHA CENTENÁRIA
    Ficha Técnica
    DONA BERTA RESERVA BRANCO VINHA CENTENÁRIA
  • DONA BERTA RESERVA BRANCO VINHA CENTENÁRIA
  • CONCEITO-A concepção deste vinho teve por ideia base deixar exprimir, da melhor forma possível, o carácter das vinhas velhas durienses, caracterizadas por terem grande diversidade de castas.
  • CASTAS - As principais castas da vinha mais do que centenária onde foram produzidas as uvas, situada em freixo de numão a cerca de 500 m de altitude, são as seguintes: rabigato, viosinho, códega, verdelho, códega do larinho e  malvasia.
  • PARÂMETRO ANALÍTICOS
  • ÁLCOOL EM VOLUME …. 14,4 % VOL.
  • ACIDEZ TOTAL ………... 6,1 GR/DM3 (ÁCIDO TARTÁRICO)
  • ACIDEZ VOLÁTIL ……… 0,46 GR/DM3 (ÁCIDOACÉTICO)
  • PH …………….…… 3,20
  • APTIDÕES - Este vinho tem a particularidade, raríssima, de ser óptimo para beber jovem, devido à delicadeza do seu aroma, e ter grande potencial de envelhecimento, graças à acidez, teor alcoólico e estrutura poderosa. com o tempo de garrafa irá ganhar grande complexidade, assumindo outra dimensão.
  • Ver +
    RESERVA ESPECIAL TINTO 2009
    Ficha Técnica
    DONA BERTA RESERVA ESPECIAL TINTO 2009
  • DONA BERTA RESERVA ESPECIAL TINTO 2009
  • CONCEITO - a concepção deste vinho teve por ideia base, desde a primeira colheita, deixar exprimir, o carácter do terroir de freixo de numão, caracterizado por uma altitude que varia entre os 400 e 600 m, em pleno douro superior.
  • CASTAS - as tradicionais do douro superior, nomeadamente touriga nacional, tinta roriz, tinta barroca, tinto cão e touriga franca, de vinhas situadas a uma cota elevada, que permite uma maturação lenta e, portanto, a obtenção de uvas equilibradas e perfumadas. Na colheita de 2009, apesar de não ter sido um ano excepcional no douro, a maturação foi quase perfeita, originando um vinho que mereceu da câmara de provadores do ivdp que faz a certificação a nota máxima.
  • PARÂMETRO ANALÍTICOS
  • álcool em volume …. 13,7 % vol.
  • acidez total ………... 4,66 gr/dm3 (ácido tartárico)
  • acidez volátil ……… 0,60 gr/dm3 (ácido acético)
  • ph ………………….. 3,78
  • Ver +
    RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2007
    Ficha Técnica
    RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2007
  • DONA BERTA RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2007
  • CONCEITO - como o nome sugere, pretendeu-se fazer um vinho onde fosse enaltecida a qualidade das uvas, provenientes de uma vinha muito velha, com mais de 100 anos, e a excelência do terroir de freixo de numão ,um dos melhores do douro para vinhos de mesa - graças à sua elevada altitude.
  • CASTAS - à boa maneira da viticultura antiga, a vinha velha onde foram colhidas as uvas tem plantadas muitas castas, algumas das quais só conhecidas dos homens de avançada idade da região. entre outras, existem o cornifesto, bastardo, casculho, tourigo, tinta raiz.
  • PARÂMETRO ANALÍTICOS
  • ÁLCOOL EM VOLUME ...... 13 % VOL.
  • ACIDEZ TOTAL ................ 5,21 G/DM3 (ÁCIDO TARTÁRICO)
  • ACIDEZ VOLÁTIL ............... 0,69 G/DM3 (ÁCIDO ACÉTICO)
  • PH............................... 3,68
  • APTIDÕES - o vinho está pronto a beber, principalmente por quem aprecia vinhos jovens, no entanto, irá melhorar muito com o tempo de garrafa, valendo a pena guardar algumas para ver acompanhar a sua evolução. por certo que irá proporcionar muitas alegrias. dadas as suas características, é, claramente, um vinho de celebração e para os grandes momentos da vida.
  • Ver +
    RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2008
    Ficha Técnica
    RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2008
  • DONA BERTA RESERVA TINTO VINHA CENTENÁRIA 2008
  • CONCEITO - como o nome sugere, pretendeu-se fazer um vinho onde fosse enaltecida a qualidade das uvas, provenientes de uma vinha muito velha, com mais de 100 anos, e a excelência do terroir de freixo de numão um dos melhores do douro para vinhos de mesa - graças à sua elevada altitude.
  • CASTAS - À boa maneira da viticultura antiga, a vinha velha onde foram colhidas as uvas tem plantadas muitas castas,
  • algumas das quais só conhecidas dos homens de avançada idade da região. entre outras, existem o cornifesto,  bastardo,casculho, tourigo, tinta raiz...
  • APTIDÕES - o vinho está pronto a beber, principalmente por quem aprecia vinhos jovens. no entanto,
  • irá melhorar muito com o tempo de garrafa, valendo a pena guardar algumas para ver acompanhar a sua evolução, por certo que irá proporcionar muitas alegrias. dadas as suas características, é, claramente, um vinho de celebração e para os grandes momentos da vida.
  • Ver +
    VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2011
    Ficha Técnica
    VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2011
  • DONA BERTA VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2011
  • CONCEITO - a concepção deste vinho teve por ideia base, desde a primeira colheita, deixar exprimir, da melhor forma possível, o carácter da casta rabigato, muito cultivada no douro mas desconhecida quanto ao seu valor enológico, hoje, passadas nove colheitas, é com satisfação que podemos afirmar, sem hesitações, que a rabigato é uma das  melhores castas brancas portuguesas.
  • CASTAS - exclusivamente rabigato, de vinhas situadas a uma cota elevada – da ordem dos 500 m – que permite uma maturação lenta e, portanto, a obtenção de uvas equilibradas e perfumadas.
  • PARÂMETRO ANALÍTICOS
  • ÁLCOOL EM VOLUME …. 14,1 % VOL.
  • ACIDEZ TOTAL ………... 5,50 GR/DM3 (ÁCIDO TARTÁRICO)
  • ACIDEZ VOLÁTIL ……… 0,40 GR/DM3 (ÁCIDO ACÉTICO)
  • PH …………….…… 3,2
  • Ver +
    DONA BERTA TINTO CÃO RESERVA 2008
    Ficha Técnica
    DONA BERTA TINTO CÃO RESERVA 2008
  • DONA BERTA TINTO CÃO RESERVA 2008
  • CONCEITO - como o nome sugere, pretendeu-se fazer um vinho onde fosse enaltecida a qualidade das uvas, provenientes de uma vinha muito velha, com cerca de 100 anos, e a excelência do terroir de freixo de numão um dos melhores do douro para vinhos de mesa graças à sua elevada altitude.
  • CASTAS - À boa maneira da viticultura antiga, a vinha velha onde foram colhidas as uvas tem plantadas muitas castas, algumas das quais só conhecidas dos homens de avançada idade da região. entre outras, existem o cornifesto, bastardo, casculho, tourigo, tinta, raiz,...
  • PARÂMETROS ANALÍTICOS
  • ÁLCOOL EM VOLUME …… 14% VOL.
  • ACIDEZ TOTAL ………….. 5,05 G/DM3 (ÁCIDO TARTÁRICO)
  • ACIDEZ VOLÁTIL ………… 0,58 G/DM3 (ÁCIDO ACÉTICO)
  • PH ……………………. 3,60
  • Ver +
    VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2010
    Ficha Técnica
    VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2010
  • DONA BERTA VINHAS VELHAS BRANCO RABIGATO 2010
  • CONCEITO - a concepção deste vinho teve por ideia base, desde a primeira colheita, deixar exprimir, da melhor forma possível, o carácter da casta rabigato, muito cultivada no douro mas desconhecida quanto ao seu valor enológico. hoje, passadas oito colheitas, é com satisfação que podemos afirmar, sem hesitações, que a rabigato é uma das melhores castas brancas portuguesas.
  • CASTAS - exclusivamente rabigato, de vinhas situadas a uma cota elevada – da ordem dos 500 m – que permite uma maturação lenta e, portanto, a obtenção de uvas equilibradas e perfumadas.
  • PARÂMETRO ANALÍTICOS
  • ÁLCOOL EM VOLUME …. 13,7 % VOL.
  • ACIDEZ TOTAL ………... 4,66 GR/DM3 (ÁCIDO TARTÁRICO)
  • ACIDEZ VOLÁTIL ……… 0,60 GR/DM3 (ÁCIDO ACÉTICO)
  • PH …………….…… 3,78
  • APTIDÕES - graças à nobreza da casta rabigato, este vinho tem a particularidade, raríssima, de ser óptimo para beber jovem, devido à delicadeza do seu aroma, e ser um vinho de guarda, graças à acidez e teor alcoólico elevados. com o tempo de garrafa irá ganhar grande complexidade, assumindo outra dimensão.
  • Ver +

    Dona Berta

    Estas terras são minhas.

    Um dia, ainda vais ficar com elas e fazer uma grande quinta”, prenunciava-me com sabedoria ancestral o meu tio-avô Joaquim Aguiar, contemplando comigo, do alto da estrada poeirenta, a vastidão serena e soalheira da Quinta do Carrenho. Muita água correria Douro fora antes que esta intuição familiar se viesse a materializar, mas aqueles 15 hectares de belas vinhas, em Freixo de Numão, no coração do Vale do Côa, marcariam a minha vida para sempre.
    E que vida esta, às sete partidas do Mundo! Desde cedo que os meus compromissos profissionais me fizeram deslocar para diversos países do globo, mas o apelo do mais precioso dos néctares sempre foi forte. Voava para Lisboa aos sábados, chegava ao Freixo a correr e regressava na segunda-feira ao meu país de trabalho. Foi nesta lufa-lufa de viagens que, com a ajuda inexcedível da minha mulher Fernanda, consegui reabilitar a Quinta do Carrenho, abandonada pela anterior geração. Em 2001, decidi partilhar o seu legado vitivinícola com o mundo.

    Projectei uma adega dimensionada para 50 mil garrafas e, em conjunto com uma equipa de experientes técnicos, todos amigos de longa data, definimos um método rigoroso de estudo para as percentagens das diversas castas plantadas na quinta. O resultado é um vinho com carácter e tentador, que não deixa ninguém indiferente. Uma tradição reflectida na marca Dona Berta, nome por que toda a gente desta zona tratava a minha mãe. Hoje, o seu espírito perdura na paixão com que nos devotamos a este projecto e que estas paisagens arrebatadoras tão bem testemunham.

     

    A Quinta do Carrenho

    O “Terroir” e Castas A Quinta do Carrenho, com uma área de 15 ha dispersa por várias parcelas,situa-se no lugar do Montargão, freguesia de Freixo de Numão, concelho de Vila Nova de Foz Côa. O local da quinta situa-se em pleno Douro Superior, num “terroir” extraordinariamente propício à cultura da vinha e à produção de vinhos de alta qualidade, a exemplo do que acontece, aliás, com uma série de quintas vizinhas de nomes sonantes.

    Um dos segredos do “terroir” é a altitude a que se encontram as vinhas, entre as cotas dos 450 e 550 m, que permitem reduzir a temperatura média anual entre 1 e 2 ºC, relativamente à do nível das vinhas junto ao rio Douro. E essa pequena diferença tem um efeito enorme na maturação das uvas, que demoram mais 2 a 4 semanas a amadurecer, tornando as uvas mais aromáticas e muito mais equilibradas na relação açúcar/ácidos. Outro dos segredos é a natureza do terreno, que em algumas parcelas é de origem xistenta e noutras – as mais altas – de origem granítica. As primeiras, têm Fertilidade ligeiramente mais elevada e retêm melhor a pouca água do Verão tórrido do Douro Superior; as restantes, de baixíssima fertilidade, apresentam uma capacidade de drenagem excelente, que se torna especialmente útil em anos com finais de Setembro chuvosos. Por isso, é raro haver anos de colheita maus, pois o lote entre as uvas dos dois tipos de parcelas é quase sempre bom ou, mesmo, muito bom. Finalmente, o “terroir” disfruta do privilégio de ter, em regra, dias quentes e noites frias na altura da maturação, proporcionando as condições ideais para o perfeito equilíbrio da produção. Quando isso acontece – cerca de 5 a 6 vezes por década – sentimo-nos felizes, pois é o passo decisivo para a obtenção de grandes vinhos, tanto brancos como tintos.

     

    A plantação da Quinta do Carrenho

    A plantação/reconversão da Quinta do Carrenho foi iniciada há cerca de 35 anos. Foram seleccionadas algumas das melhores castas genuinamente durienses (Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinto Cão,Rabigato, Verdelho). Dispõe-se, actualmente, de um parque vitícola diversificado em que as videiras mais antigas têm cerca de 35 anos e as mais novas cerca de 15 anos. Para além das vinhas reconvertidas, foram preservados 2 ha de vinhas centenárias, pré-filoxéricas, mantendo as castas da época, algumas das quais nem constam do registo actual de castas do IVDP. São castas com nomes tão desconhecidos como Casculho, Cornifesto, Tinta Raiz, Silveirinha, Donzelinho e Folgazão. As uvas produzidas na vinha centenária, plantada em terreno de origem granítica, são usadas exclusivamente para produzir o nosso vinho “Dona Berta – Vinha Centenária”, tanto branco como tinto, de estilo completamente original e distinto do dos vinhos actuais, que constitui o ex libris da casa. As castas do encepamento distribuem-se do seguinte modo:

    Castas Brancas:
    Rabigato 40%
    Castas centenárias 5%
    Outras castas brancas 5%

    Castas Tintas:
    Tinta Roriz 14%
    Touriga Nacional 10%
    Touriga Franca 8%
    Tinta Barroca 6%
    Tinto Cão 2%
    Castas centenárias 8%
    Outras castas tintas 2%

     

    Adega

    A adega está implantada a uma cota baixa com exposição Norte, estando praticamente metade da construção enterrada, para assegurar uma boa regulação térmica do seu interior, especialmente durante os calores estivais. Por este facto, a parte visível da construção não é significativa, tendo-se tido o cuidado de revestir todas as paredes exteriores de xisto da zona, de forma a assegurar um enquadramento paisagístico adequado e sem beliscar os sistemas da Reserva Ecológica Nacional.

     

    Os Vinhos

    O respeito pelo “terroir”, a tradição e um toque de inovação, principalmente na recuperação de castas antigas de grande potencial enológico, mas devotadas ao desinteresse pela maioria dos produtores, fazem parte dos princípios basilares que norteiam a nossa produção de vinho. Assim se compreende que, em 2001, quando começámos a vinificar, se tivesse
    apostado, decididamente, na casta Rabigato, essa notável desconhecida de que todo o Douro falava, mas ninguém tinha estudado com atenção. São estes conceitos, associados ao amor à terra, ao vinho e à sabedoria dos antigos, que julgamos marcarem o nosso sucesso e a diferença num mundo vínico cada vez mais igual. Neste âmbito, temos, também, um campo experimental com plantações de castas tradicionais, que estão a ser pacientemente estudadas para, no momento oportuno, serem dadas a conhecer. Não por darem vinhos melhores, mas por permitirem fazer vinhos diferentes, capazes de oferecer experiências novas e únicas.
    Vinhos Produzidos:

     

    Branco

    Dona Berta Vinhas Velhas Reserva / Branco Rabigato 2001-2010 Rabigato / Dona Berta Vinha Centenária Reserva Branco 2008-2010 / Códega, Rabigato, Viosinho, Verdelho e Malvasia
    Dona Berta Reserva Tinto 2001-2010 / Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Barroca e Tinto Cão
    Dona Berta Reserva Especial Sousão 2006 Sousão / Dona Berta Grande Escolha 2007 /Touriga Nacional, Touriga Franca / Tinto Cão, Tinta Barroca e Tinto Cão / Dona Berta Reserva Tinto Cão 2008-2010 Tinto Cão / Dona Berta Vinha Centenária Reserva Tinto 2005-2010 / Cornifesto, Bastardo, Casculho, Tourigo, Tinta Raiz, …

    TOP